HOME LÓTUS AGENDA TERAPIAS PROFISSIONAIS
HOME
LÓTUS
AGENDA
TERAPIAS
PROFISSIONAIS
LOCALIZAÇÃO
FOTOS
CONTATO

O que é Treinamento Autógeno ? 

O Treinamento Autógeno (T.A.) pode ser definido como um sistema de exercícios fisiológicos e racionais, cuidadosamente estudados e executados para provocar mudanças no organismo do praticante, valendo-se de processos cujos mecanismos são similares à hipnose, através da sugestões, permitindo contudo a manutenção de um elevado estado de consciência.


O Treinamento Autógeno é apontado por diversos médicos como a melhor forma de relaxamento, por atuar no campo fisiológico e psicológico. Trata-se de um método científico, de auto-hipnose , que faz com que a força da imaginação atue sobre o corpo. Nas palavras de seu criador, Dr. Johannes H. Schultz, o método consiste em “promover a modificação da personalidade de quem o pratica (...)".

O T.A. fundamenta-se em exercícios mentais que guardam certa semelhança com as técnicas do yoga e da meditação zen. Seu método divide-se em dois graus de aprofundamento: o elementar, ou básico, e o superior. O primeiro é aplicado ao longo de seis exercícios básicos, enquanto o segundo - este mais próximo das práticas orientais - está escalonado em outros sete exercícios.

Vários neurologistas se interessaram pela resistência de iogues e monges lamaístas, que conseguem resistir meditando seminus a temperaturas abaixo de -10ºC, nos gelados cimos do Tibete, contrariando expectativas biológicas e mostrando como a psique pode dominar o corpo.

Apesar de ser um método relativamente recente, concebido pela Medicina, há relações do T.A. com diversas manifestações da etnologia e psicologia religiosa, especialmente o xamanismo.

O Dr. Schultz ministrou vários cursos a médicos, no Instituto Lessing, em Berlim, a partir da década de 1920. À época, anunciava que era um método de treinamento, uma espécie de ginástica da alma.

Segundo o Dr. Cesário M. Hossri, Psicólogo a quem devemos a maior divulgação do T.A. no Brasil, o emprego do T.A. com finalidades psicoterápicas tem-se apresentado como técnica de relaxamento dos estados de tensão muscular e mental, constituindo assim, meio coadjuvante para eliminar a ansiedade, a angústia, a depressão, as neuroses, as moléstias funcionais, o “estresse.

Através do T.A., é possível ao praticante desenvolver o relaxamento de seu próprio corpo, utilizando a concentração, a imaginação e a auto-sugestão.

O método pode ser monitorado diretamente por um psicoterapeuta profissional, mas, uma vez assimilado pelo praticante, pode este prescindir de outra pessoa para dar continuidade à prática, sendo perfeitamente viável fazê-lo sozinho, no local de trabalho, no lar, ou qualquer outro ambiente que possa reunir as condições mínimas de tranquilidade.

O T.A. permite conseguir um estado de repouso semelhante ao sono, possibilitando àquele que o pratica a normalização e o desenvolvimento das funções psíquicas básicas, tai como a memória, a atenção, a concentração, autodeterminação, o autodomínio, auto-segurança e, por conseguinte, o controle emocional.

Empregado na terapêutica das neuroses e das chamadas moléstias nervosas da civilização, tem nos dias atuais um alcance imenso, como meio de desenvolvimento e aprimoramento da personalidade dos indivíduos. Representa uma conquista que só encontra paralelo nas elevadas práticas das místicas e sistemas empregados no Oriente, como o Yoga, o Taoismo, o Lamaísmo e o Budismo-zen.

Constitui, assim, um recurso para realizar a integração da personalidade, através de um profundo autoconhecimento. O T.A. confere ao praticante o controle de sua afetividade em relação a uma situação, aumentando ou diminuindo-a, conforme deseje.

Nos mais diversos setores da sociedade, o T.A. já se mostrou uma ótima ferramenta para a melhora do rendimento das pessoas, aumentando-lhes a qualidade e a produtividade no trabalho. Do treinamento de astronautas às atividades artísticas, verificou-se que essa prática é perfeitamente aplicável ao homem comum, conforme experiências realizadas em países como Japão, França, Itália e Alemanha.

Introduzido no Brasil pelo Dr. Wilhelm Kenzler, o T.A. já foi experimentado entre bancários, industriais, médicos, engenheiros, advogados, e em grupos de estudantes universitários.
                           
                                                             Celso René Vieira

Site Map